Guacamole com maçã

Algumas semanas atrás falei do meu patê preferido. Na verdade eu tenho dois patês preferidos: mutabal e guacamole.

Eu nasci em uma cidade pobre em diversidade gastronômica. Tirando os restaurantes italianos (e dezenas de pizzarias), e alguns restaurantes chineses e japoneses, a Natal onde cresci só oferecia comida regional e muito, muito churrasco. Hoje a cidade conta com mais opções de comida estrangeira, incluindo um ótimo restaurante tailandês, mas quando, aos vinte anos, arrumei as malas e fui estudar na Europa, eu não tinha provado muita coisa além de tapioca, cuscuz e umas comidas pseudo-italianas que prefiro não comentar. A comida do nordeste, principalmente macaxeira, ainda tem um lugar especial no meu coração, mas confesso que depois de ter descoberto delícias de outras cozinhas senti um pouco por ter sido privada delas por tanto tempo. Comida mexicana, por exemplo. Como pude ter vivido tantos anos sem guacamole?

A idéia de comer abacate salgado pode ser muito comum no México, e em vários outros países, mas pra mim abacate só se consumia de um jeito: misturado com leite, açúcar e transformado em vitamina. Mas assim que a primeira colherada de guacamole entrou na minha boca me arrependi imediatamente de todos os anos que passei comendo o bichinho com açúcar. Não me entendam errado, ainda adoro vitamina de abacate. Mas um prato de abacate amassado, misturado com sal, suco de limão e muito molho de pimenta, é pra mim a visão do paraíso.

Guacamole é facílimo de fazer e acho que cada pessoa tem uma maneira preferida de prepará-lo. Eu sou adepta do “quanto mais simples melhor”. Talvez essa receita já seja conhecida por todos (principalmente os sortudos que moram em cidades grandes onde restaurantes mexicanos são abundantes) mas gostaria de apresentar minha humilde inovação, não no preparo, mas na arte de comer guacamole. Esqueça as tortilhas e chips de milho: use finas fatias de maçã como veículo pra transportar o guacamole do prato pra boca e ele ganhará uma nova dimensão.

Minha amiga Mona, que sempre passa aqui pelo blog, anda assustada com meu comportamento estranho com comida (veja meu post sobre a feira de Belém). Mesmo correndo o risco de assustá-la ainda mais, queria dizer que eu gosto tanto de guacamole, tanto, que às vezes tenho vontade de… espalhar o abacate pelo rosto e corpo inteiro. Pronto, eu disse! Espero que ninguém deixe de visitar o blog por causa das minhas esquisitices.

Guacamole

Isso não é exatamente uma receita, é mais um guia pros noviços em guacamole. As proporções dependem do gosto de cada um. Aconselho que você siga minhas instruções, prove o produto final e junte mais um pouco do que achar necessário. Eu uso avocados, um tipo de abacate bem pequeno, porque é o único que tem por aqui. Como abacates variam enormemente no tamanho, adapte a quantidade dos outros ingredientes de acordo com o tamanho do seu.

1 abacate maduro (mais ou menos 1x de abacate amassado)

2cs de cebola picada o mais fino possível

2 a 3cs de suco de limão

sal e molho de pimenta (tipo tabasco) a gosto

Pra servir

Fatias de maçã (com casca)

Suco de limão

Amasse o abacate com um garfo, deixando alguns pedacinhos inteiros pra textura ficar mais interessante. Junte os outros ingredientes, mexa bem e sirva com fatias de maçã regadas com suco de limão (o limão impede a oxidação da maçã mas também realça a doçura da fruta). Se quiser junte um pouco de coentro picado, como na foto. Rende uma xícara.