Minha lasanha preferida

Foi uma semana difícil. Daquelas em que nada dá certo e os problemas não param de se multiplicar. A nuvem negra foi tão pesada que atingiu até minha cozinha. Fiz um bolo de maçã que foi parar no lixo (apesar da minha consciência ter doído, como acontece sempre que desperdiço comida) e almocei paratha (um pão indiano) cru, pois a receita não deu certo e a massa não assou direito (depois do episódio do bolo, não tive coragem de estragar comida pela segunda vez na mesma semana). Torço pra que o culpado disso tudo seja o tal do inferno astral, já que meu aniversário está próximo. Mas sem querer esperar a mudança de idade pra ver o fim dessa onda de acontecimentos negativos, resolvi tomar meu destino em mãos e melhorar a situação imediatamente. Fazendo lasanha.

Às vezes tudo que você precisa é de um belo prato de lasanha pra esquecer a semana ruim e sentir alegria imediata. Não faço lasanha frequentemente. A verdade é que o reconforto em forma de massa e molho de tomate tem um preço: o prato é trabalhoso, demorado e deixa uma bagunça danada na cozinha. Quando penso em fazer lasanha, a imagem da pia coberta com panelas sujas acaba me fazendo desistir da ideia. Mas nas raras vezes em que resolvo ir em frente, me sento pra degustar o produto pronto e penso, com molho de tomate até as bochechas, que esse negócio é bom demais.  Anne então levanta a cara do seu pedaço e, com molho branco escorrendo pelo queixo, diz que eu devia fazer lasanha com mais frequencia. Isso, claro, até ela entrar na cozinha e descobrir que a pia se transformou em um Everest de louça suja. Bem, as lições a serem aprendidas aqui é que lasanha tem o poder de fazer seus problemas desaparecerem (momentaneamente) mas que isso vem com um preço (uma boa sessão de lavagem de prato).

Essa é a minha lasanha preferida, uma receita que criei alguns anos atrás e fui aperfeiçoando com o tempo. Fatias de beringela e abobrinha são grelhadas pra aumentar o sabor dos legumes, depois cobertas com espinafre, molho de tomate caseiro e um molho branco cremoso e perfumado com noz moscada. Tudo intercalado entre fatias de lasanha, que cozinham diretamente no molho e ganham um sabor ainda mais especial. Esse é o prato perfeito pra impressionar aquele comedor de carne que torce o nariz ao ouvir a palavra “vegetariano” e acha que vegano só come alface e broto de soja. Você precisa provar pra se convencer que é possível preparar um prato 100% vegetal, sem colesterol, com pouca gordura, cheio de fibras e nutrientes e absolutamente delicioso ao mesmo tempo. Como disse, é um prato que exige tempo, mas que vale a pena ser preparado de vez em quando. Afinal, você também merece lasanha.

Minha lasanha preferida (vegana)

Gosto de usar folhas de lasanha de espinafre (por isso na foto acima a massa é ligeiramente esverdeada), mas você pode escolher uma massa tradicional. No meu molho branco, uso creme de castanha de caju porque aqui não tem creme de soja, mas também porque acho mais interessante tanto do ponto de vista nutricional como gastronômico. Como sei que é mais prático usar um creme de soja pronto, adaptei a receita pra ser usada com esse ingrediente.

1 berinjela média

2 abobrinhas médias

5-6 x de espinafre

8-10 folhas de lasanha (confira a lista de ingredientes na embalagem  pra ter certeza que não tem ovos)

azeite, sal e pimenta do reino

Molho de tomate

1 cebola grande picada

½ pimentão vermelho picado (opcional)

4 dentes de alho

4x de tomate picado

1cc de ervas desidratadas (uma mistura de alecrim, manjericão e orégano é ideal)

2cs de azeite

sal e pimenta do reino a gosto

Molho branco

½ cebola ralada

2 dentes de alho amassados

1cs de azeite

2 caixinhas de creme de soja (gosto do da Batavo)

1/3 cc de noz moscada (de preferência ralada na hora)

sal e pimenta do reino a gosto

Comece preparando os legumes grelhados. Corte a berinjela ao meio no sentido vertical, depois corte cada metade em fatias de 2cm de espessura. Corte as abobrinhas em fatias de 1,5cm. Unte uma placa de fazer biscoitos (ou uma forma grande e rasa) com azeite e disponha os legumes em fatias. Regue com mais azeite (cuidado pra não exagerar), polvilhe sal e pimenta do reino e leve ao forno médio/alto até os legumes ficarem macios e caramelizados em alguns lugares (no meu forno 25 minutos são suficientes). Reserve.

Prepare o espinafre. Lave bem o espinafre e pique em pedaços pequenos. Aqueça um pouquinho de azeite em uma frigideira larga e despeje o espinafre picado. Mexa com uma colher de pau até as folhas murcharem um pouco e reduzirem de volume (não acrescente água). Não cozinhe demais o espinafre, lembre-se que ela continuará a cozinhar no forno. Desligue o fogo, tempere com sal a gosto e reserve.

Prepare o molho de tomate. Esquente o azeite e refogue a cebola até ficar transparente. Junte o pimentão vermelho, se estiver usando, e o alho e refogue mais dois minutos. Junte os tomates picados, uma boa pitada de sal e as ervas desidratadas. Cozinhe tampado, em fogo baixo, até os tomates se desintegrarem. Desligue o fogo, corrija o sal e junte uma pitada de pimenta do reino. Quando o molho amornar, passe no liquidificador por alguns segundos, deixando uns pedaços de tomate inteiros. Verifique a quantidade de molho obtida. Você vai precisar de 600ml de molho de tomate pra fazer essa receita. Se tiver obtido um pouco menos, complete com água até atingir os 600ml (se tiver um pouco mais não tem problema). Isso também ajuda a afinar o molho. A massa não será cozinhada na água e sim no forno com os outros ingredientes,  por isso é importante que o molho não seja muito grosso. Reserve.

Faça o molho branco. Aqueça o azeite e refogue a cebola ralada e o alho amassado até ficar ligeiramente dourado. Junte o creme de soja, a noz moscada, um pitada de pimenta do reino e sal a gosto. Mexa bem e desligue o fogo. Reserve.

Aqueça o forno em temperatura média.

Monte a lasanha. Disponha os componentes (legumes, molho de tomate, molho branco e folhas de lasanha crua) sobre sua zona de trabalho (mesa ou bancada da pia), um ao lado do outro, pra facilitar a montagem. O ideal é usar uma travessa que meça em torno de 26cmx15cm. Vou dar as instruções pra montar a lasanha nessa travessa, se a sua for maior adapte as quantidades. Despeje um pouco de molho de tomate e de molho branco na travessa e espalhe cobrindo todo o fundo com uma camada fina de líquido. Disponha duas folhas de lasanha sobre o molho. Se necessário, quebre um pedaço da folha de lasanha pra que ela fique menor e caiba na forma (eu quebro 1/3 da folha-diminuindo o comprimento- e uso os pedaços quebrados pra cobrir os “buracos”). Cubra a massa com uma camada de molho de tomate e por cima disponha fatias de legumes grelhados e um pouco de espinafre cozido. Despeje colheradas do molho branco e repita a operação mais duas vezes, sempre nessa sequencia: folhas de lasanha, molho de tomate, legumes grelhados, espinafre e molho branco. Depois de colocar as últimas folhas de lasanha (eu uso 8 ao todo), as derradeiras camadas serão de molho de tomate e molho branco.  Cubra com uma folha de papel alumínio pra evitar que a lasanha resseque e asse até a massa ficar cozida. Espete com um garfo pra testar. Nos últimos 15 minutos, remova o papel alumínio pra lasanha gratinar ligeiramente. Tire do forno e deixe esfriar 5 minutos antes de servir. Serve 4.

Como esqueci de cobrir a travessa com papel alumínio, a última camada de molho evaporou e minha lasanha ficou um pouquinho ressecada em cima, como você pode ver na primeira foto.

Essa foto, de uma lasanha que fiz tempos atrás na casa da minha amiga Cida em Londres, mostra como ela deveria ter ficado. Não lembro exatamente o que coloquei aqui, mas sei que tinha um molho de queijo vegano delicioso.

(Minha adorável esposa fotógrafa está me dizendo que essa foto não atinge o nível de qualidade do blog. Concordo plenamente com ela. Tirei a foto bem antes de ter começado a me interessar por fotografia e não estava tentando fazer uma foto bonita, só registrar o momento. Decidi publicar a foto aqui porque embora totalmente amadora, sempre que olho ela me dá água na boca.)