Shake de banana e alfarroba

 

Logo que me mudei pra cá, tive o prazer de trabalhar durante seis meses, e morar durante algumas semanas, com uma americana chamada Janelle. Nós simpatizamos no minuto em que fomos apresentadas e somos amigas até hoje, apesar dos milhares de quilômetros que nos separam (ela mora em Seattle, EUA). O pai de Janelle é médico e ela estudou saúde pública, então seu conhecimento em matéria de nutrição é admirável. Passamos muitas horas explorando a feira de Jerusalém e a lojinha de produtos orgânicos que fica do lado. Graças à Janelle descobri que cevada não serve só pra fazer bebida, que aveia em flocos grossos é mais gostosa, e segundo ela mais nutritiva, que aveia em flocos finos e que é importante comer um punhado de oleaginosas todos os dias (conselho do seu pai). Ela é vegetariana mas vivia dizendo que se eu cozinhasse pra ela todos os dias ela se tornaria vegana sem hesitar. Um dia, pra agradecer todos os pratos que eu preparei durante as semanas que ela ficou hospedada na minha casa, ela me convidou pra lanchar na casa dela. Nesse dia ela preparou, entre outras coisas, alfarroba quente, um tipo de “chocolate” quente feito com leite de soja e alfarroba em pó no lugar do cacau. Eu não conhecia alfarroba e no início achei a bebida estranha, mas depois de alguns goles comecei a apreciar aquele sabor tão particular.

Antes de voltar pros EUA Janelle me presenteou com o pacote que alfarroba que ela tinha comprado na loja de produtos orgânicos e que ainda estava quase cheio. Adorei o presente mas confesso que ele ficou juntando poeira em uma prateira da minha cozinha durante… anos. Sim, anos. De todos os produtos que descobri com essa amiga, alfarroba foi o mais exótico e o que menos gostei. De dois em dois meses eu abria o potinho onde tinha guardado a alfarroba, cheirava aquele pó marrom e me perguntava o que eu ia fazer com aquilo. Muitas vezes pensei em jogá-lo fora, mas desperdiçar comida vai contra os meus princípios, ainda mais quando a comida em questão foi presente de uma pessoa querida. Alguns meses atrá, decidida a usar a alfarroba antes que ela apodrecesse (vencida já devia estar, mas como a aparêcia e o cheiro continuavam o mesmo declarei que ainda era seguro comsumí-la) preparei uma xícara de alfarroba quente. Essa segunda xícara da bebida me pareceu bem mais gostosa que a primeira então alguns dias depois preparei outra, que achei ainda melhor. Aí pensei : “E se eu colocar alfarroba na minha vitamina de banana?” E antes que eu me desse conta, dois terços do potinho de alfarroba tinha desaparecido e ela tinha entrado na (longa) lista das comidas que adoro. Dizem que é preciso provar pelo menos dez vezes um alimento novo antes de afirmar se você gosta ou não dele e parece que é verdade.

Alfarroba é usada como alternativa ao cacau pras pessoas que prefererem (ou precisam) consumir produtos não excitantes (cacau é excitante, como café, chá…). Embora a aparência seja quase idêntica, não espere o mesmo gosto do cacau. Acho importante insistir nesse ponto pois aqueles que provam alfarroba pensando que se trata de um cacau mais saudável acabam se decepcionando. O sabor é totalmente diferente, mas eu não acho que isso seja um problema, muito pelo contrário. Certo, pras pessoas que não podem comer cacau e que procuram um substituto parecido isso é bem frustante, mas pras todos os outros alfarroba é um sabor a mais a ser descoberto (e desfrutado).

Esse shake (que não passa de uma vitamina, mas que decidi chamar de “shake” pra ficar mais especial) foi minha obsessão no verão passado. Durante os longos meses de calor infernal eu só tinha vontade de beber meu super skake de leite de amêndoas, banana e linhaça, mas eu sempre o preparava com cacau. A versão com alfarroba  além de ser deliciosa, é uma ótima maneira de experimentar esse produto, já que misturado com a banana o sabor fica mais suave. O shake é perfeito no café da manhã, uma alternativa muito mais nutritiva e saborosa do que o tradicional café com pão. Além de ser delicioso e saudável, fica pronto em segundos, podendo ser preparado a qualquer momento do dia (é um dos meus lanches preferidos). Nunca foi tão gostoso ser saudável!

Shake de banana e alfarroba

Gosto de comprar vários quilos de banana, deixar amadurecer bem, cortar tudo em rodelas e congelar em saquinhos. Assim nunca sou pega desprevenida quando bate a vontade de tomar esse shake (e, acredite, isso acontece quase todos os dias). É importante congelar bananas bem maduras, já que congelado qualquer alimento parece menos doce pras nossas papilas. Eu nunca adoço minhas vitaminas pois acho totalmente desnecessário, mas se você congelar bananas ligeiramente maduras (e não extremamente maduras) o sabor e a doçura serão menos intensos. Não tenha medo de deixar a casca da banana começar a ficar preta antes de congelá-las. Aliás essa é uma ótima maneira de salvar aquelas bananas que estão meio “passadas”. Sempre compre sementes de linhaça inteiras e moa em casa (no liquidificador). Linhaça se oxida muito rápido depois de moída e precisa ser guardada no congelador, em um recipiente fechado. Sugiro aqui que você use 2cc de alfarroba e 1cc de cacau pra bebida ficar menos “estranha” pros novatos em matéria de alfarroba. Se você já conhece e gosta de alfarroba, ou prefere saborear ela sozinha, deixe o cacau de lado. Se, ao contrário, você detesta alfarroba (espero que você tenha provado dez vezes antes de chegar à essa conclusão), ou não encontrar esse produto na sua cidade, use somente o cacau (2cc são suficientes). A bebida será tão saudável e deliciosa quanto.

 

1x (bem cheia) de banana congelada em rodelas (1 banana grande)

1x de leite de amêndoas gelado (receita aqui)

1cc de linhaça moída

2cc de alfarroba em pó

1cc de cacau em pó

 

Bata tudo no liquidificador até ficar cremoso. A conscistência será muito parecida com a de um milk shake feito com sorvete.  Sirva imediatamente. Rende 1 porção.