Polenta cremosa com feijão e tomate

Quando eu era criança Lila, minha irmã mais velha, gostava de fazer quarenta pra gente jantar. Quarenta é um prato à base de fubá, mas diferente do cuscuz que costumamos comer no Nordeste. O cuscuz é cozinhado no vapor, enquanto que quarenta é feito misturando o fubá com água e cozinhando em uma panela, mexendo sempre. Depois de cozido, Lila despejava a mistura em uma forma de bolo, daquelas com um furo no meio, e deixava amornar. Então era só desenformar e degustar fatias grossas do quarenta. Nunca vi ninguém preparar esse prato fora da minha família e depois que minha irmã saiu de casa* nunca mais comi quarenta. Ele virou uma memória empoeirada na gaveta dos sabores que fizeram parte minha infância (junto com, entre outros, uma fruta do sertão chamada “pêlo” que só comi uma vez quando tinha uns oito anos e desde então nunca mais vi). Até o dia que descobri polenta.

Pois não é que quarenta é o equivalente nordestino desse prato italiano! Polenta durinha, que é cortada em fatias e assada ou frita depois de cozinhada como o quarenta, é muito bom, mas acho polenta cremosa melhor ainda, pois é mais fácil e rápida de preparar. Quando uma certa amiga chegou aqui em casa com um carregamento de fubá do tipo “flocão”, um pedido dessa nordestina que estava sentindo falta de cuscuz (mas que não tem cuscuzeira), decidi fazer um cruzamento entre as duas receitas e preparar polenta cremosa com fubá. A farinha de milho usada pra fazer polenta é mais granulada do que o nosso fubá, mas descobri que usando flocão (que é o fubá em flocos) a polenta fica uma delícia e ainda tem a vantagem de cozinhar mais rápido.

Gosto de comer polenta com feijão branco cozinhado com tomate, mas com legumes refogados também fica ótimo. É um prato extremamente humilde, barato, simples de preparar e que alimenta por horas. O meu tipo de prato preferido.

*Depois de se separar, Lila voltou pra casa (o quartel general da família), mas por alguma razão misteriosa nunca mais preparou quarenta.

 

Polenta cremosa com feijão branco e tomate

É essencial usar fubá do tipo “flocão” (tem escrito na embalagem), pois ele cozinha mais rápido e rende uma polenta mais cremosa. Meu método pra fazer polenta é diferente, pois misturo a farinha de milho com a água fria, mesmo. Assim não tem perigo de emboloar. Quando fria, a polenta endurece, mas ela pode ficar cremosa novamente: junte mais um tiquinho de água e esquente no fogo baixo mexendo sempre. Sálvia é uma delícia com feijão branco, mas se não gostar dessa erva substitua por um punhado de salsinha ou manjericão fresco. Nesse caso polvilhe a erva picada sobre o prato pronto.

Polenta

1x de fubá em flocos (flocão)

3x de água

2cs de azeite

½ cubo de caldo de legumes

Pimenta do reino

Feijão

1 cebola, picadinha

2-4 dentes de alho, ralados/amassados

1 cenoura, em cubinhos

4 tomates bem maduros, picados

2x de feijão branco cozido

4 folhas de sálvia fresca (ou uma pitada de sálvia desidratada)

Sal com ervas (como esse), ou sal comum, pimenta do reino e azeite

Comece preparando o feijão. Refogue a cebola em 1cs de azeite até ficar dourada. Junte o alho e a cenoura e refogue mais dois minutos. Junte os tomates e deixe cozinhar coberto, em fogo baixo, até eles começarem a se desintegrar e a cenoura ficar macia. Acrescente o feijão, a sálvia, sal com ervas e pimenta do reino a gosto e deixe cozinhar mais alguns minutos, até a mistura ficar espessa. Prove, corrija o tempero e reserve.

Em uma panela média, misture o flocão com a água, junte o caldo de legumes e leve ao fogo alto. Quando ferver baixe o fogo e deixe cozinhar, mexendo frequentemente com uma colher de pau, até o fubá ficar bem macio e cremoso. Esfregue um pouco da mistura entre os dedos: o fubá está cozido quando não der pra sentir nenhum grãozinho inteiro (o meu levou 10 minutos, ao todo, pra ficar pronto). Se todo o líquido secar antes do fubá cozinhar, junte um pouco mais de água. A polenta deve fica espessa e bem cremosa. Corrija o sal (dependendo do caldo de legumes utilizado, você pode precisar de mais um pouco), tempere com pimenta do reino, regue com 2cs de azeite e misture bem.

Sirva uma porções de polenta cobertas com o feijão com tomate (se o feijão tiver esfriado, aqueça novamente antes de servir). Regue com um pouco de azeite e polvilhe com mais pimenta do reino (de preferência moída na hora). Rende 4 porções.

Como estou atualmente sozinha (Anne está viajando a trabalho), sobrou polenta e acabei servindo um pouco pros gatos da vizinha. E não é que eles gostaram? Falando nos gatos, que são da vizinha, mas que vivem aqui em casa, não pude resistir à vontade de mostrar essas fotos.

E ainda falando em gatos, há dias que não consigo parar de cantar “nós gatos já nascemos pobres, porém já nascemos livres…” O engraçado é que na mesma época que Lila preparava quarenta pra gente, ela costumava nos levar ao cinema pra ver filmes dos Trapalhões e foi em um deles que escutei essa musiquinha pela primeira vez. Uma memória deve ter puxado a outra…